A IMPORTÂNCIA E O VALOR DA EDUCAÇÃO CRISTÃ E DO MISSIONÁRIO BATISTA

        Em nosso calendário denominacional, o mês de junho nos reserva várias datas a serem lembradas e comemoradas. Dentre elas o dia de educação cristã missionária e o dia do missionário batista.

        Falar ou mencionar a educação cristã missionária é falar do papel preponderante que a União Feminina Missionária Batista do Brasil vem desempenhando desde 1908 em nosso país. Foi ela que estabeleceu o dia 23/06, como o dia de educação cristã missionária, isso em 1938, com dois objetivos: (1) levar as igrejas a orar pelas instituições de ensino religioso e missiológico mantidas por elas: O SEC (Seminário de Educação Cristã), localizado na cidade do Recife ei IBER (Instituto Batista de Educação Religiosa), hoje CIEM ( Centro Integrado de Educação e Missões), na cidade do Rio de janeiro, ambos criados em 1941; (2) Levantar uma oferta através das MCM ( Mulher Cristã em Missões), de cada igreja, para ajudar na manutenção de cada uma delas.

        Muito já se falou e muito já se escreveu contando a história e a importância desses educandários. Delas saíram diversas irmãs capacitadas e que hoje atuam em diferentes áreas, seja nos campos missionários, através da JMM e da JMN, seja como educadoras em nossas igrejas, seja como professoras de ensino religioso, seja auxiliando seus esposos pastores no ministério pastoral.

        Sem dúvida, podemos dizer que o trabalho Batista não seria o mesmo e não teria avançado sem a atuação de nossas queridas irmãs, formadas e forjadas no SEC e no CIEM. Portanto, oremos e continuemos a ofertar.

        E que bom que em nosso calendário separamos o dia 26/06, como dia do missionário batista. Lembrar desses desbravadores, homens e mulheres que atenderam ao chamado divino para serem porta vozes, anunciadores das boas novas, tanto nós campos estrangeiros, quanto nas cidades e nos sertões brasileiro. Homens e mulheres que abdicaram do conforto e convívio de seus lares, deixando suas cidades e seu país, abrindo mão de carreiras profissionais, abrindo mão de sonhos e projetos pessoais, para abraçarem uma vida de renúncias e sacrifícios, encarando a perseguição e a oposição nos campos onde se exige fé e coragem.

        Vejo o missionário como um ser especial. Nem sempre compreendido e apoiado.São homens e mulheres que estão na linha de frente do combate contra às forças das trevas..

        Pra mim, são servos que atenderam duplamente a chamada do Senhor da Seara. Digo duplamente por entender que atenderam ao chamado para o ministério e atenderam só chamado específico para a obra missionária.

        A maioria deles chegam nos campos para dar início a um novo trabalho, à partir do nada, à partir do zero. Sem estrutura, sem dinheiro, sem material, sem nenhum crente no lugar, com um salário irrisório, pequeno. Alguns abriram mão de formarem sua própria família e sozinhos vão para os campos contando com a ajuda dos céus e com nossa ajuda para segurar as cordas.

        Você já se deu conta da importância e do valor do missionário? Essa força de trabalho precisa ser mais amada e apoiada. Todos os dias deveríamos interceder por eles e assumir o compromisso de sustenta los não só durante uma campanha missionária, mas durante todo o ano, adotante um deles através do PAM (Plano de Adoção Missionária).

        Que o bondoso Deus, o Deus de missões, continue derramando suas bênçãos sobre o CIEM e sobre o SEC e sobre a vida de cada missionário. E que como denominação valorizarmos essas instituições e nossos missionários.

        No Reino de Deus,

        Pr. Lázaro Augusto Gomes Vieira, Gestor de Campo e Missões dos Batistas de Rondônia

Compartilhe
Fechar Menu